Ensaio fotográfico de doutorando da UFBA vence prêmio de antropologia

Download PDF
002 cópia

Uma das 10 fotos do ensaio premiado de Haroldo Abrantes, retratando pescadores do bairro de Piatã lançando rede no mar. (Foto: Haroldo Abrantes)

Um ensaio fotográfico que retrata o cotidiano dos pescadores do bairro de Piatã, em Salvador, rendeu ao doutorando em antropologia pela UFBA Haroldo Abrantes o Prêmio Pierre Verger deste ano na categoria. A premiação é promovida a cada dois anos pela Associação Brasileira de Antropologia (ABA), e esta foi sua nona edição.

004 cópia

Cesto de pesca e puxada de rede, outra imagem do ensaio premiado de Haroldo Abrantes (Foto: Haroldo Abrantes)

Com um conjunto de dez fotografias que representam o trabalho cotidiano dos pescadores do bairro, Haroldo superou sete finalistas, selecionados entre 58 trabalhos inscritos por antropólogos e estudantes de todo o país. A premiação foi entregue na Reunião Brasileira de Antropologia deste ano, em Brasília, que aconteceu entre 9 e 12 de dezembro.

O ensaio faz parte de sua pesquisa de doutorado, sob orientação do professor Fernando Firmo, do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, e teve como foco “mostrar a rotina de uma categoria de trabalhadores numa região que antes era de inteiro domínio da pesca, e que, agora, foi incorporado ao tecido urbano de Salvador”, explica Haroldo.

Parto em quilombos: menção honrosa

Além do ensaio de Haroldo, outro trabalho produzido no PPGA obteve destaque no evento da ABA: Naiara Maria Santana obteve menção honrosa na oitava edição do Prêmio Antropologia e Direitos Humanos, por sua dissertação de mestrado, intitulada “De canoa até o hospital: Processos de transformação e medicalização das práticas de parto em quilombos do Recôncavo Baiano”.

WhatsApp Image 2018-12-10 at 15.37.30

Trabalho de Haroldo Abrantes foi exposto na Reunião Brasileira de Antropologia, que aconteceu em Brasília, entre 9 e 12 de dezembro. (Foto: Haroldo Abrantes)

Orientado pelo professor Felipe Bruno Martins Fernandes, o trabalho buscou compreender o processo de transformação no padrão de assistência ao parto em quilombos nos municípios de Santo Amaro e Cachoeira. Realizada entre 2013 e 2016, a pesquisa teve como foco as narrativas de oito parteiras das comunidades, a partir das quais discutiu as interações entre os saberes médico-científicos e o conhecimento dito “tradicional”, em um contexto de desaparecimento da prática do parto tradicional e popularização do parto hospitalar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website