Osesp inclui peça de Paulo Lima em celebração internacional dos 250 anos de Beethoven  

Download PDF
Obra “Cabina: Nós Somos Pretos” foi uma encomenda da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp)

Obra “Cabina: Nós Somos Pretos” foi uma encomenda da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp)

Compositor premiado, professor titular de composição da Escola de Música da UFBA, Paulo Costa Lima teve uma de suas obras, “Cabinda: Nós Somos Pretos”, de 2015, selecionada para a abertura, no Brasil, da celebração internacional dos 250 anos de nascimento de Ludwig von Beethoven. O grande compositor alemão nasceu em dezembro de 1770 e, em dezembro deste ano, tem início a comemoração da efeméride com programação estendida pelos cinco continentes.

A obra de Paulo Lima, com referências rítmicas e melódicas da tradição afro-baiana e inspirada numa famosa cantiga de maculelê, como ele já explicou muitas vezes, resultou de uma encomenda da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a  Osesp, em 2014. A mais importante orquestra sinfônica brasileira queria incluir uma peça do compositor baiano em seu concerto de abertura da temporada, em abril de 2015. E, de fato, ali Cabinda teve sua estreia, na programação de 16 a 18 de abril, na Sala São Paulo.

Agora, a Osesp vai integrar, ao lado de outras oito orquestras de várias partes do mundo, o projeto “Todos juntos: uma ode global à alegria”, desenvolvido com o Carnegie Hall, de Nova Iorque, que promoverá nove apresentações da Sinfonia nº 9 de Beethoven em diferentes países, sob a regência Marin Aslop, titular da Osesp.

Cada orquestra foi convidada a criar a sua própria versão para a Ode à Alegria, o poema de Friedrich Schiller, de 1785, cantado no quarto e último movimento da nona sinfonia, a partir de diálogos musicais com a cultura de cada lugar. A Osesp, que dará início à celebração internacional, de 12 e 15 dezembro, com apresentações, sob a regência de Marin Alsop, na Sala São Paulo e no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), decidiu, além de apresentar uma versão do poema de Schiller em português, traduzido por seu diretor artístico Arthur Nestrovski, acrescentar, ao fim da sinfonia, material musical bem brasileiro: um canto de capoeira, a peça de Paulo Lima e uma nova obra da compositora Clarice Assad, carioca, 41 anos, que alude à canção Alegria, alegria, de Caetano Veloso.

Osesp participa de evento internacional de celebração dos 250 anos de nascimento do compositor Beethoven

Osesp participará de evento internacional de celebração dos 250 anos de nascimento do compositor Beethoven

Com mais de 100 obras e 500 performances em cerca de 15 países integrando seu catálogo artístico, a trajetória acadêmica de Paulo Lima inclui estudos sobre a sonoridade da capoeira, do samba de roda e do candomblé, manifestações culturais que atestam toda a diversidade e a influência africana na cultura brasileira.

A celebração dos 250 anos de Beethoven, aberto pelos concertos em São Paulo, acontecerá, entre outras cidades, em Londres, Sydney, Baltimore, Joanesburgo e Viena, lugar onde a obra estreou em 1824. A exibição final será no Carnegie Hall, Nova Iorque, já em 2020, que marca os 250 anos de nascimento do compositor.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website