Cadastramento de veículos integra medidas para criar um ambiente seguro, aberto e interativo

Download PDF

 

Começou nesta sexta-feira, 20 de janeiro, e se estende até 3 de fevereiro, o cadastramento de veículos da comunidade UFBA. Dirigido à população permanente da instituição – professores, servidores técnicos, estudantes e profissionais terceirizados que trabalham nos campi – o sistema facilitará o monitoramento que teve início nos primeiros dias de janeiro, agilizando o acesso de carros e motos.

O cadastramento será feito virtualmente através do novo portal de segurança (www.seguranca.ufba.br) e, na sequência, a Pró-Reitoria de Administração (Proad) entregará os adesivos de identificação dos veículos às várias unidades da Universidade.  Assim, cada servidor, estudante ou profissional terceirizado pode procurar seu adesivo com o administrador do sistema na unidade a que está vinculado (os diretores das unidades vão indicar esse administrador), em data que será divulgada em breve.

Os documentos de cada veículo cadastrado serão conferidos no momento de entrega do adesivo por esse administrador, que também pode atualizar, corrigir dados ou adicionar novos veículos para os membros que assim o desejarem.

Também podem ser cadastrados, embora não virtualmente, os veículos dos visitantes assíduos da UFBA. Para tanto, eles devem procurar o administrador do cadastramento na unidade com que têm mais contato.

 

Segura, aberta e interativa

O novo portal de segurança da UFBA é um instrumento que facilita as relações da comunidade universitária com a gestão, com destaque para um prático sistema de registro de qualquer ocorrência na universidade e sua inserção num mapa interativo. Traz ainda dicas de segurança, notícias, estudos, espaço para sugestões e contribuições, e pode ser acessado por computador pessoal, smartphone ou tablet. O registro mais eficiente de ocorrências contribuirá para elaboração de estatísticas consistentes que “vão permitir a elaboração de planos de segurança mais eficazes”, segundo Fabíola Greve, professora do Departamento de Computação Científica e assessora de Tecnologia da Informação da reitoria.

unnamed

No alto, Lucas Almeida e Lin Figueiredo, na parte de baixo, Adelmo Menezes e Pedro Barbosa: estudantes, sócios da LLAB e criadores do aplicativo UFBA segura.

O portal foi desenvolvido pela Superintendência de Tecnologia da Informação (STI), com apoio da LLAB Solutions, uma startup de análise de dados recém formada por três estudantes da Escola Politécnica e um da Faculdade de Administração da UFBA. A eles coube o desenvolvimento do aplicativo destinado ao registro georreferenciado das ocorrências e seu mapeamento estatístico. Batizado de “UFBA Segura”, o aplicativo  utiliza linguagem R e e é embasado no Openstreetmap, projeto internacional de mapeamento colaborativo.

Esse aplicativo, conta Lucas Almeida, da Engenharia Elétrica e Adelmo Menezes, de Engenharia Química(os outros sócios da LLAB são Pedro Barbosa e Lin Figueiredo, o primeiro da Engenharia Química e o segundo da Administração), “é capaz de acolher notificações precisas de ocorrências e sugestões, e daí gerar diagnósticos apurados com fundamento estatístico”.

O jovem time da LLAB Solutions, empresa que nascera apenas alguns meses antes de a UFBA decidir criar um portal de segurança, resolveu procurar a instituição quando viu o primeiro vídeo do reitor João Carlos Salles abordando o tema, no final do ano passado. Ali os estudantes vislumbraram a possibilidade de uma nova demanda para sua startup. “O UFBA Segura surgiu, portanto, com o intuito de desburocratizar e facilitar o sistema de notificação de ocorrências de furtos e roubos dentro da universidade. Criamos uma interface simples e amigável, que permite a qualquer um da comunidade universitária notificar rapidamente se houve algum assalto ou outro problema, e o local em que se deu, avisar se algum lugar está mal iluminado, além de outras informações importantes para tornar mais ágil e efetiva a atuação da equipe de segurança da Universidade”, diz Lucas.

Ele e Adelmo contam que passaram os últimos dias de dezembro e a virada do ano correndo para entregar à UFBA o produto que se comprometeram a desenvolver, entendido por todos como uma chance preciosa para uma empresa novíssima voltada ao desenvolvimento de sistemas de segurança.

A implementação do portal de segurança faz parte de um conjunto de ações propostas pela reitoria em dezembro passado para garantir um ambiente de tranquilidade e bem estar nos campi da instituição. Isso inclui o Grupo de Trabalho de Segurança Institucional, formado para pensar e propor caminhos de um novo modelo de segurança na Universidade, que não pode abrir mão de sua autonomia nem ferir seu caráter de instituição plural, democrática, inclusiva e, ao mesmo tempo, de excelência em ensino, pesquisa e extensão. O grupo é integrado por diretores de unidades, membros da gestão e representantes das entidades representativas de docentes, técnicos e estudantes, sob a coordenação da professora Lorene Pinto, pró-reitora de Desenvolvimento de Pessoas (Prodep).

Outras medidas destinadas a ampliar a segurança, adotadas no começo do ano, seguem seu curso, como a mudança do ponto final do Buzufba, de lado de fora da entrada principal do campus de Ondina para o estacionamento atrás do PAF 1 / Instituto de Matemática. Ou o monitoramento dos veículos que acessam o campus de Ondina por essa entrada, enquanto se definem seus desdobramentos. Desde 04 de janeiro, motoristas de carros e motociclistas abaixam o vidro da janela do carro ou suspendem o capacete ao passarem pelo portão, enquanto câmeras registram condutores e placas dos veículos. “Começamos por esse portão de Ondina  para ampliar paulatinamente o monitoramento a todos os acessos dos campi da universidade”, conta o pró-reitor de Administração da UFBA, professor José Murilo Philigret.

A próxima etapa será estender o monitoramento ao portão da Avenida Adhemar de Barros, que dá acesso ao estacionamento, e à entrada do Instituto de Geociências (IGEO), na Avenida  Garibaldi, até alcançar todos os campi. Para isto são necessárias obras de adaptação e novas câmeras, que já foram adquiridas. Também são necessárias algumas parcerias: uma das entradas de Ondina, por exemplo, divide espaço com uma área do Governo do Estado, onde estão a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), a Bahia Pesca e a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA).

A infraestrutura de monitoramento também está sendo ampliada. O campus de Vitória da Conquista conta com 89 câmeras que garantem uma cobertura apropriada. Em Salvador, são 560 câmeras ligadas 24hs por dia, distribuídas em todos os campi e unidades. Destas, quase um terço registram em infravermelho, garantindo visibilidade noturna, e 32 são câmeras speed dome, que têm um zoom com alcance de 35 a 40 metros, além de girar em 360 graus, cobrindo uma vasta área. As imagens ficam armazenadas por 30 dias em 4 grandes servidores situados numa central. “A meta é que alcancemos 800 câmeras e que o acompanhamento seja feito em tempo real. O espaço está passando por uma reforma e está sendo elaborado um edital para a contratação de uma nova equipe de profissionais qualificados”, acrescenta o pró-reitor de Administração, Murilo Philigret.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website