Parcerias entre UFBA e setor privado celebram estudos em inovação

Download PDF

Fernanda Caldas e Murilo Guerra

assinatura

Da esquerda para direita, o superintendente da Fábrica Carioca de Catalisadores, Arlindo Moreira Filho e a diretora do Instituto de Geociências da UFBA, Olívia Oliveira e o reitor João Carlos Salles.

A colaboração entre a UFBA e empresas privadas para aprimorar estudos de inovação teve mais um capítulo na última quarta-feira, 18 de dezembro. A assinatura de convênios com a empresa Fábrica Carioca de Catalisadores (FCC S.A) e a Proquigel, do grupo Unigel, junto com Fundação Escola Politécnica da Bahia (FEP), e do termo de cooperação técnica com a Universidade Salvador (Unifacs) foi efetivado no Instituto de Geociências e consagrou o desenvolvimento de pesquisas nas áreas de engenharia química, estudos do petróleo e seus derivados.

“É natural que a inovação esteja ancorada, amparada em estruturas bem estabelecidas, na nossa situação, estamos celebrando a regularidade de nossa universidade, porque isso [fazer pesquisa, extensão, oferecer ensino de qualidade, celebrar parcerias] é o normal. Nós temos instituições fortes que tem uma tradição de procurar parcerias com empresas, e estabelecer relações interinstitucionais”, afirmou o reitor João Carlos Salles da UFBA.

capa-assinatura

Da esquerda para direita, o reitor João Carlos Salles, a reitora da Unifacs, Márcia Barros, Aryane Lima da empresa Proquigel Química S. A. e o diretor geral da Fundação Escola Politécnica da Bahia, Luiz Pontes

Além do reitor da UFBA, estiveram presentes no ato de assinatura a diretora do Instituto de Geociências da UFBA, Olívia Oliveira, o superintendente da Fábrica Carioca de Catalisadores, Arlindo Moreira Filho, Aryane Lima da empresa Proquigel Química S. A., a reitora da Unifacs, Márcia Barros, e o diretor geral da Fundação Escola Politécnica da Bahia, Luiz Pontes.

Com sede no Rio de Janeiro, a Fábrica Carioca de Catalisadores (FCC S.A) é uma empresa que cria, produz e entrega soluções em catalisadores – aceleram reações químicas – e aditivos para a indústria de refino de petróleo. Ao lado da UFBA, e empresa e a Fundação Escola Politécnica da Bahia adotaram o convênio 109/2019, no qual a FCC S.A assegura apoio financeiro para a execução do projeto “Estudos do processo e de catalisadores contendo aditivos para dessulfurização em condições de FCC”.

A dessulfurização é um processo químico usado para remover enxofre e reduzir as emissões de dióxido de enxofre que resultam do gás de combustão de subprodutos de petróleo refinado e de gás natural, tais como gasolina e nafta, querosene, óleo diesel e óleos combustíveis. O processo é necessário para reduzir a quantidade de dióxido de enxofre emitida para a atmosfera, tendo em vista que este elemento é um fator importante na formação de chuva ácida, o que causa o desmatamento de florestas e encostas dos morros.

Será investido o valor do de trinta mil reais pela empresa parceira, somada à garantia de acesso aos equipamentos da FCC S.A. e à outras condições que sejam necessárias para o desenvolvimento do projeto. A UFBA, por sua vez, responsabiliza-se tecnicamente pela execução do projeto, com instalações, recursos materiais e pessoal técnico.

Já com a empresa baiana Proquigel S.A, que faz parte da petroquímica Unigel, e a Fundação Escola Politécnica da Bahia, a UFBA celebrou o convênio 110/2019, no qual a empresa assegura apoio financeiro para execução do projeto “Estudo de viabilidade de produção de acrilonitrila a partir da glicerina resultante da produção de biodiesel”.

A destinação adequada da glicerina resultante da produção de biodiesel é uma questão importante a que o projeto se dedica, estudando a possibilidade de utilizar essa substância para a produção de acrilonitrila, que é um composto químico especialmente aplicado na indústria têxtil e na produção de plásticos de engenharia, como a ABS.

A empresa parceira investirá o valor de vinte e oito mil e oitocentos reais e deverá, de modo semelhante à FCC S.A, garantir o acesso aos equipamentos da empresa e demais condições que sejam necessárias para o desenvolvimento do projeto. A UFBA entra no convênio como responsável técnica pela execução do projeto e também disponibiliza instalações, recursos materiais e pessoal técnico próprios.

Além dos convênios celebrados com as duas empresas, o evento marcou a assinatura do Termo de Cooperação Técnica e Educacional (365/2019) entre a UFBA e a UNIFACS. Por meio de parceria já existente entre as duas, foi criado o doutorado multinstitucional em Engenharia Química. O termo recém assinado atende a uma sugestão da Coordenação de Aperfeiçoamentos de Pessoal de Educação Superior (Capes) para junção do referido curso ao mestrado em Engenharia Química da UFBA, formando o Programa de Pós-graduação em Engenharia Química UFBA/UNIFACS.

seminario

Coordenadora do Pospetro, Gisele Hadlich, durante o I Seminário do Doutorado Acadêmico para Inovação

O termo de cooperação estabelece as regras básicas de relacionamento a serem seguidas pelas duas instituições em relação aos cursos de mestrado e doutorado do programa de pós. São abordadas questões como a contratação de professores e a utilização de infraestrutura de salas de aula e laboratórios. As universidades se comprometem a divulgar todas as ações do PPEQ como ações conjuntas de ambas as instituições.

As assinaturas marcaram também a abertura do I Seminário UFBA do Doutorado Acadêmico para Inovação, momento em que seis doutorandos apresentaram os avanços em seus respectivos projetos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website