Congresso da UFBA abrigou Seminário Estudantil de Pesquisa, com 135 apresentações de bolsistas Pibic

Download PDF

Os 135 bolsistas dos Programas de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação (Pibic) da UFBA, atividade coordenada pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação (Propci), apresentaram os suas atividades de pesquisa durante o 39º Seminário Estudantil de Pesquisa, realizado nos cinco dias do Congresso Virtual UFBA 2021, de 22 a 26 de fevereiro. Durante o seminário, os Programas de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação da Universidade Federal da Bahia, PIBIC, PIBIC- Ações Afirmativas (PIBIC-AF), PIBIC Inovação Tecnológica (PIBITI) e PIBIC-Milton Santos, promoveram, como resultado final, uma instigante articulação entre as diversas temáticas e áreas do conhecimento. A coordenadora do Pibic na UFBA, professora Joice Reis Pedreira, junto com os membros do comitê local dos programas, foram os organizadores do evento e responsáveis pela seleção dos bolsistas.

Para que os avaliadores externos tivessem a oportunidade de avaliar a qualidade da pesquisa desenvolvida pelos bolsistas de iniciação científica da UFBA, buscando a melhor forma de divulgar os trabalhos desenvolvidos, foram selecionados aqueles que tiveram duas avaliações “Excelente”, no relatório final, para expor e discutir seus resultados, em uma sessão virtual com a participação de um avaliador externo e membros do comitê local do PIBIC.

Assim, 135 bolsistas foram selecionados para formarem 11 grupos de trabalho: Ciências Agrárias, Ciências Biológicas, Ciências da Saúde, Ciências Humanas, Ciências Sociais e Aplicadas, Ciências Exatas, Engenharias, Letras-Linguística e Artes, Multidisciplinar, PIBIC-Ações Afirmativas e PIBIC-Inovação Tecnológica. O programa de bolsas Milton Santos também esteve presente no seminário com a participação de convidados, bolsistas e ex-bolsistas do programa.

A programação do Congresso da UFBA abrigou ainda três mesas de discussão sobre o Pibic: “Milton Santos e o Programa de Bolsas Milton Santos: o pensamento inspirador e um seu instrumento“, com Maria Auxiliadora da Silva, Itamar Rangel Vieira Junior, Fabio Contel, Joice Pedreira, e moderação pela professora Ana Fernandes, presidente do comitê de bolsas Milton Santos; A problemática racial em três abordagens“, com Gabriela Bacelar, Eliene Santana dos Santos, Raianna Moraes Souto e moderação do professor. Samuel Vida, membro do comitê de bolsas Milton Santos; e Dimensões socioambientais do território: duas problemáticas, com Ana Emilia Magrinelli Lisboa, Willian Guedes Menezes, e moderação da professora Angela Franco do comitê de bolsas Milton Santos.

Primeiro bolsista do do programa Milton Santos, que integra o Pibic, o ex-aluno da UFBA e escritor baiano Itamar Vieira Junior, autor do livro Torto Arado (prêmio Jabuti de melhor romance literário de 2020), declarou, na mesa “Milton Santos e o Programa de Bolsas Milton Santos” (ver adiante), realizada durante Congresso, que é muito importante que as bolsas de pesquisas continuem existindo e auxiliando na formação dos estudantes, principalmente dos alunos de baixa renda. Apesar do “desmonte do atual governo na área da educação, com a redução de bolsas e de recursos para as pesquisas”, é bom saber, disse ele, que permanecem esses “pequenos oásis” na nossa universidade, que ajudam os estudantes “carentes de tudo”.

Vencendo a pandemia

Tanto os avaliadores externos quanto o coordenadores das sessões do seminário destacaram a excelência das pesquisas apresentadas, seja pelo seu estimulante interesse pela interdisciplinaridade dos trabalhos ali discutidos, seja pela riqueza dos seus resultados, avaliando positivamente a dinâmica de juntar as apresentações de bolsistas com melhores relatórios em uma única sessão. Percebe-se claramente, conforme eles evidenciam, que os estudantes conseguiram vencer todas as dificuldades do ano, impostas pela pandemia, e apresentar bom conhecimento sobre seus respectivos temas. A inovação despontou de forma bastante promissora, com trabalhos que vão desde a obtenção de matérias primas sustentáveis para indústria farmacêutica a partir da biomassa de microalgas, passando pela robótica, fertilizantes orgânicos, bioativos de petróleo, uso terapêutico do laser e nanopartículas de azeite de dendê.

DANIEL CARDOSO

Daniel Cardoso pesquisou sobre a Covid-19

O estudante de física Daniel Cardoso Pereira Jorge, orientado pela professora Suani Rubim de Pinho, desenvolveu um trabalho de física aplicada, com resultados localizados que impactam a universalidade. O trabalho, inicialmente planejado para avaliar a transmissão da zika através da dinâmica estocástica, foi modificado para “Modelagem da dinâmica da Covid-19 na Bahia utilizando dados reais”, um trabalho que conversa com outras áreas do conhecimento, sobretudo considerando que a Covid-19 já é, por si, um exemplo de “complexidade” ou de “fenômenos críticos muito complicados” da ciência.

O estudante de engenharia da produção Lucas Menezes Pereira, orientado pelo professor Salvador Ávila Filho, desenvolveu um trabalho sobre “A influência dos jogos em treinamentos no contexto industrial para melhoria da Confiabilidade Humana”. A pesquisa foi afetada pela pandemia do novo coronavírus, já que o discente precisava ir a campo para fazer os experimentos na prática. Por esse motivo, Lucas e o orientador optaram pela pesquisa exploratória de teor bibliográfico. O bolsista compartilhou a experiência de uma pesquisa dessa natureza, com consequente revisão sistemática das contribuições de vários autores sobre os temas de confiabilidade humana, educação e treinamento, além de “gamificação”, uso de jogos para motivar e ajudar na aprendizagem em situações reais.

O estudante de farmácia Pedro da Cunha Lima Silva, orientado do professor Vitor Antônio Fortuna, trabalhou com a “Padronização e uso de diferentes matrizes tridimensionais de cultivo de células tronco de medula óssea na Terapia Celular”. O tema é de grande relevância e originalidade e traz impactos para terapia celular, que necessita de grande incentivo em formação de novos pesquisadores.

PEDRO CUNHA

Pedro Cunha pesquisa a terapia celular

O estudante de ciências econômicas Cyro Luiz Faccin de Souza, orientado do professor Nuno Jorge Sampaio, discutiu a relação entre financeirização do trabalho e as mudanças na prestação do trabalho no contexto pós-crise internacional e sua declinação no contexto brasileiro, com foco nos impactos negativos no mercado de trabalho.

A estudante de letras vernáculas Luiza Oliveira Cordiviola, orientada pela professora Ligia Telles, apresentou dados muitos relevantes para a crítica literária do multifacetado Davi Arrigucci Jr a partir da análise de sua reflexão sobre a obra do escritor argentino Julio Cortázar. O trabalho de Luiza traz reflexões originais sobre o autor estudado, respaldando a relevância de uma boa formação de um pesquisador na iniciação científica.

CYRO FACCI

Cyro Faccin de Souza pesquisou sobre o mercado de trabalho

Dentre os bolsistas do Programa de Iniciação científica das ações afirmativas, um dos principais destaques foi a estudante de letras vernáculas Livia Eduarda Oliveira de Araújo, orientanda da professora Lilian Teixeira de Souza. O trabalho sobre a “Edição dos catecismos Doutrina Christã (Quicongo) e Gentio de Angola suficientemente instruído nos mistérios de nossa santa fé (Quimbundo)” tem importância inestimável para a compreensão acerca das línguas africanas no Brasil.

O Programa de Inovação Tecnológica (Pibit), selecionou o estudante de engenharia mecânica Lincon Cardoso Gabriel, orientando do professor Marco Tulio Santana Alves. O trabalho foi o “Projeto de Garra de Manipulador Robótico acionadas por Ligas de Memória de Forma”. No caso estudado, através de experimentação e simulação numérica, obteve-se um embasamento e noções práticas de como a liga Nitinol pode ser utilizada e quais resultados são esperados de uma garra robótica nos moldes projetados.

LUIZA OLIVEIRA

A estudante Luiza Oliveira estudou a reflexão do crítico Davi Arrigucci Jr.

A equipe do Pibic gravou as apresentações dos bolsistas durante todo o seminário, o que resultou na criação de um acervo de 135 vídeos – tal dedicação e competência também viabilizaram o sucesso das sessões virtuais do Pibic durante o Congresso.

Avaliadores externos

Entre os pesquisadores do CNPq que participaram da atividade como avaliadores externos, destacam-se, por área do conhecimento, alguns nomes.

O professor Alan Alves Brito, do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que avaliou a sessão de trabalhos das ciências exatas. A sessão de engenharias contou com a participação do professor Jean Carvalho, do Centro de Ciências e tecnologia em energia e sustentabilidade (CETENS/UFRB).

As ciências humanas contaram com a participação do professor Antônio Edmilson Paschoal, do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná e do professor Marcelo Ennes da Universidade Federal de Sergipe. Na sessão das ciências sociais aplicadas, as examinadoras externas foram as professoras Nair Kobashi, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São de Paulo, e a professora Ivone Salgado, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

A sessão de letras, linguística e artes teve a participação dos professores Carlos Magno, da Universidade Federal de Sergipe, e Ilza Nogueira da Universidade Federal da Paraíba. As ciências agrárias tiveram a participação do professor Leilson Bezerra, da Universidade Federal de Campina Grande, e as ciências biológicas, a participação da professora Elizabeth Hofling da Universidade de São Paulo.

A sessão do Pibic-Ações Afirmativas contou com a professora Sonia Oliveira, da Universidade do Estado da Bahia, e a sessão do Programa de Bolsas em Iniciação Tecnológica (Pibit), com os professores Alex Alisson Santos, do SENAI-CIMATEC, e Diogo Moreira, da Fiocruz/Bahia, além da professora Elaine Fagundes, da Universidade Federal de Minas Gerais.

O Pibic

O Programa de Bolsa-pesquisa dirigido a estudantes de graduação na UFBA foi criado há mais de 40 anos, com o objetivo de incentivar novos talentos e despertar a vocação científica entre os estudantes de graduação. Desde então, o Programa de Iniciação à Pesquisa da UFBA “traduz com grande acuidade a trajetória dos recursos humanos e valores científicos que vem construindo os lastros da pesquisa e de ensino de Pós-graduação na instituição”, informa a professora Joice Reis Pedreira, que coordena o Pibic na UFBA.

“Ao longo desses anos, a UFBA ampliou de forma significativa o apoio ao programa de Iniciação à pesquisa e Inovação, seja com recursos próprios, seja através de parcerias com outras instituições, a exemplo do CNPq e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia FAPESB”, finaliza a coordenadora.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website