Fulbright financiará pesquisadores dos EUA para intercâmbio na UFBA na área de estudos étnicos e raciais

Download PDF

A UFBA é uma das cinco universidades brasileiras selecionadas pela Fundação Fulbright – entidade de fomento à pesquisa e atividades culturais ligada ao governo dos Estados Unidos – para enviar pesquisadores norte-americanos de destaque para intercâmbio em diferentes áreas do conhecimento. A UFBA foi escolhida por sua excelência na área de estudos étnicos e raciais, e os pesquisadores selecionados deverão desenvolver estudos sobre temas de interesse como escravidão e resistência na diáspora africana; racismo estrutural na sociedade contemporânea; desigualdade racial, étnica e de gênero na renda, educação, saúde e habitação; diversidade cultural e artística entre grupos étnicos e raciais.

Entre as atividades planejadas estão webinars e discussões de mesa redonda online mensais; séries podcast quinzenais; Conferência de estudos trimestrais; e publicações acadêmicas.

Entre as atividades planejadas estão webinars e discussões de mesa redonda online mensais; séries podcast quinzenais; Conferência de estudos trimestrais; e publicações acadêmicas.

De acordo com a professora Joice Pedreira, coordenadora de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação da UFBA (Propci), será uma oportunidade para trocar conhecimentos com estudiosos de destaque nas áreas de expertise de cada instituição de ensino. Assim, acadêmicos que já realizam pesquisas relevantes nos EUA estarão conectados com universidades brasileiras, compartilhando experiências e trabalhando de forma colaborativa com estudantes, professores e programas de pós-graduação.

Entre as atividades previstas estão webinars e mesas redondas online mensais, séries de podcasts quinzenais, conferência de estudos trimestrais e publicações acadêmicas.

A rede interdisciplinar Fulbright (FIN) pretende promover parcerias inovadoras na área da educação e um diálogo qualificado sobre temas estratégicos. A iniciativa conta com financiamento da Comissão Fulbright e da Embaixada dos EUA no Brasil. Os candidatos devem ter nacionalidade daquele país.

Para gerenciar a FIN na UFBA, a Administração Central está criando uma comissão com a participação do Comitê Gestor CAPES PrInt UFBA, da Assessoria para Assuntos Internacionais, com representantes do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos (Posafro), do Programa de Proficiência em Línguas Estrangeiras para Estudantes e Servidores da UFBA (Profici) e do Programa de Pós-Graduação em História da UFBA, além da própria Propci.

Além da UFBA, também foram escolhidas pela Fulbright as seguintes universidades e áreas de pesquisa: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na área de linguagens e identidades; Universidade de Brasília (UNB), na área de relações internacionais; Universidade Federal do Pará (UFPA), na área de sustentabilidade; e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), nas áreas de direito e ciências políticas.

O candidato deve selecionar uma universidade parceira em que desenvolverá seu trabalho e poderá trabalhar de forma colaborativa com colegas, palestras de convidados, mentores, etc. As instituições de ensino, por sua vez, devem receber os pesquisadores e incentivá-los a se envolver com estudantes, professores e a comunidade em geral. O prazo final para apresentar propostas é o dia 15 de setembro deste ano, através do site da Fulbright.

Inicialmente está prevista a visita de um professor bolsista em cada universidade brasileira, que poderá optar por duas visitas, de dois meses cada, às universidades parceiras (modalidade Flex); ou realizar visitas com duração de três ou quatro meses. De acordo com o edital, o bolsista receberá uma quantia fixa de US$ 5.400 por mês para cobrir todas as despesas, menos habitação. A universidade parceira ficará responsável por cuidar da instalação do visitante, com custos financiados pela Fulbright.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website