Congresso da UFBA antecipará debates do Fórum Social Mundial 2018

Download PDF

congresso-pesquisaO Fórum Social Mundial (FSM) irá unir movimentos sociais de todos os continentes com o objetivo de elaborar alternativas para uma transformação social global. Com o lema “Resistir é criar, resistir para transformar”, o evento será realizado de 13 a 17 de março de 2018, nos campi da UFBA. Uma prévia do Fórum acontecerá durante o Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFBA, que será realizado de 16 a 18 de outubro de 2017.

O Congresso da UFBA terá cerca de 60 mesas de debates, entre elas, sete anteciparão discussões para o Fórum Social Mundial 2018. Os temas abrangem a integração latino-americana, a democracia e comunicação, a nova onda de intolerâncias, a revolução dos gêneros, as culturas em resistência e luta, a precarização do trabalho e as mudanças climáticas.

Membro do Conselho Internacional do FSM, Damien Hazard, afirma que a 18ª edição do Fórum está voltada “às resistências contra retrocessos no Brasil e no mundo”. Em sua opinião, as mesas do Congresso da UFBA, ao anteciparem debates do Fórum, já trazem questões cruciais da atual conjuntura e destaca o debate acerca das ameaças que as universidades, a educação e o futuro da produção acadêmica brasileira vêm sofrendo atualmente.

“As mesas foram propostas com essa perspectiva de identificar e debater resistências possíveis e que tenham como questão central problemas que afetam a diversidade de movimentos sociais e de povos em resistência. As organizações do Fórum têm um grande interesse nesses debates que, com certeza, vão repercutir em novas atividades inscritas para março”, afirma Hazard, que também é membro da Vida Brasil, entidade civil sem fins lucrativos, e Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong).

Entre os convidados para compor essas sete mesas do Congresso já está confirmada a presença de Norma Fernandes, acadêmica e ativista da Universidade dos Movimentos Populares que atuou no processo de regulação dos meios midiáticos na Argentina. Ela estará na mesa de comunicação junto com representantes das organizações Ciranda, Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação e Fórum Mundial de Mídia Livre.
O secretário geral da União das associações para o desenvolvimento e a defesa de direitos dos desmunidos (Mali), Massa Koné, é outro nome confirmado. Ele, que lidera a articulação de movimentos de camponeses da região oeste-africana, atuará na mesa sobre mudanças climáticas e suas implicações para os povos africanos.
Já Mireille Fanon Mendes France, presidente da Fondation Frantz Fanon (França), falará na mesa sobre intolerâncias sobre a necessidade de descolonialidade dos poderes e dos saberes na sociedade e nos processos de articulação de movimentos sociais.

forum-bannerDurante 17 anos, o Fórum Social Mundial, reuniu coletivos, movimentos, frentes e fóruns temáticos, que se organizaram para discutir e interferir nas realidades locais ou setoriais no mundo. “Tem sido assim especialmente para movimentos que expressam diversidades como as de gênero, de combate ao racismo e xenofobia”, conta Hazard. Ele também fala que é feita tradicionalmente uma assembléia de convergência dos movimentos sociais que produz agendas de ação para o restante do ano. “O FSM também fomenta o encontro de agendas do mundo do trabalho, em conferências já tradicionais, além de atrair a juventude e artistas populares para os debates da lutas sociais”, complementa.

O reconhecimento do impacto político do Fórum Social Mundial é destacado por Rita Freire, também integrante do conselho internacional do Fórum. “Já pautou, na agenda mundial, o aumento das desigualdades decorrentes de globalização neoliberal, reinventou o significado da participação na política, disseminou novos paradigmas, a exemplo do bem viver, da economia do cuidado, da economia solidária, entre outros”, diz.

Rita Freire avalia que, na América Latina, o FSM contribuiu para as viradas democráticas na década passada, e, na Índia e no Norte da África, contribuiu para um debate que não era habitual na cena pública, a auto-organização da sociedade civil.

Interessados em participar do Congresso da UFBA e dos debates que anteciparão o Fórum Social Mundial podem se inscrever na categoria ouvinte, no endereço: http://www.congresso2017.ufba.br/. O evento contará com cerca de 4 mil trabalhos científicos, culturais e artísticos apresentados por estudantes de graduação e pós-graduação de 15 programas de bolsas da Universidade.

Confira também o facebook do Fórum Social Mundial: https://www.facebook.com/fsm2018/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website