Mulheres na ciência e reunião da Andifes fecham a programação

Download PDF

Reunião da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e duas mesas de debate sobre Mulheres na Ciência serão destaques do último dia do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFBA, finalizando, assim, a diversificada programação do evento.

Programada para as 9 horas da quarta-feira,18, na Biblioteca Universitária de Saúde, a reunião plenária da Andifes acontecerá pela primeira vez em Salvador e deverá reunir reitores de 67 universidades do país. Em paralelo, as mesas de debate, vão acontecer no Salão Nobre da Reitoria da UFBA.

Participarão da mesa “Políticas públicas para estimular a inserção e ascensão de mulheres nas ciências e tecnologias”, ás 10:15h, a secretária de políticas Políticas para as Mulheres da Bahia, Julieta Palmeira, o diretor interino da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb),  Lázaro Cunha, a professora do instituto de Física, Katemari Rosa e a doutoranda em Educação, Jaqueline Nascim22282026_1258619694284913_2634283681664296098_nento.

A segunda, “Mulheres Negras na Ciência: Guarde sua vassoura, que eu sou uma doutora”, ocorrerá a partir das 14 horas, e reunirá a professora do Instituto de Química;  Bárbara Pinheiro, a professora do Instituto de Matemática, Simone de Moraes, e novamente a professora Katemari Rosa.

“O fato de sermos três mulheres negras num universo majoritariamente branco e masculino, que são as Ciências Exatas, Tecnologias e Matemática, nos proporciona experiências e desafios na academia que refletem os preconceitos e estereótipos associados às mulheres negras na nossa sociedade, de maneira mais ampla.”, diz a professora Katemari. Ela acrescenta que  “a mesa representa também um convite  para que outras meninas e mulheres negras, da cidade mais negra do Brasil, venham para UFBA, e ocupem essa universidade, mostrando que as áreas de Ciências Exatas, Tecnologias e Matemática também são para nós”, comentou Ketemari, que abordará  a importância das redes de suporte para as trajetórias de mulheres negras na academia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website