Olimpíada Baiana de Química mobiliza estudantes de todo o estado

Download PDF

olimpiada-quimicaNa última quinta-feira, 26, o salão nobre da reitoria da UFBA ficou cheio de estudantes do ensino médio de vários colégios de Salvador. O motivo foi a realização da solenidade de premiação da XII Olimpíada Baiana de Química (OBAQ). Alcançando 69 cidades do Estado da Bahia e um total de 5.155 alunos de escolas públicas e privadas, a OBAQ acontece desde 2006 como um consolidado projeto de extensão do Instituto de Química.

Também os Institutos de Física, de Matemática e de Biologia da UFBA realizam, há vários anos, olimpíadas de suas áreas de conhecimento, despertando e incentivando o interesse de estudantes do ensino médio pelas ciências. A solenidade de entrega de prêmios da Olimpíada Baiana de Matemática será realizada na noite desta quarta-feira (08/11), no Salão Nobre da Reitoria da UFBA.

A primeira participação da Bahia no Programa Nacional Olimpíadas de Química ocorreu em 1995, porém, sua dimensão era muito reduzida. Foi só no ano de 2006 que começou a se pensar em um evento que abrangesse não apenas a cidade de Salvador, mas o maior número possível de municípios do Estado da Bahia. Desde então, o projeto vem se capilarizando pelo interior do Estado e levando oportunidade e conhecimento para alunos de mais de 78 municípios. Nesta última edição foram cerca de 224 alunos medalhistas e mais de 500 colaboradores, incluindo professores, coordenadores, alunos da UFBA e outros servidores da universidade.

whatsapp_image_2017_08_05_at_16.56.17_1

Realização da OBAQ no município de Irecê

Ao destacar os pontos mais positivos do projeto, o Coordenador da Olimpíada Baiana de Química, Prof. Lafaiete Almeida Cardoso declarou que “além de despertar vocações, atrair, identificar e estimular talentos, a Obaq contribui também para a melhoria do ensino de química no Ensino Médio. Acredito que a principal contribuição no que concerne à mobilização é o envolvimento e o compromisso, de centenas de pessoas que, voluntariamente, atuam no projeto.”

Dentre outros pontos positivos, o professor Lafaiete destacou a ampliação em mais de 60% do número de participantes na fase I e, em torno de 16% de alunos inscritos na fase II. Ressaltou também a inscrição de alunos de comunidades indígenas e quilombolas.

A olimpíada faz parte do Programa Nacional Olimpíadas de Química, promovida pela Associação Brasileira de Química (ABQ) e conta com apoiadores como Fapesb, Fieb-Sesi, Fundação CefetBahia, Braskem, Brasilgás e DOW. “Graças à uma conjunção de forças, entre elas a participação ativa das escolas, dos

obaq5

Realização da OBAQ no município de Apuarema

professores, dos alunos e de toda equipe Obaq, além do respaldo da comunidade baiana, na superação das dificuldades, em particular de financiamento do projeto, foi possível concluir com êxito a XII edição da Obaq”.

“Convidamos os professores e alunos do ensino médio a participarem deste projeto. Convidamos também o setor empresarial, para continuar a investir nesta iniciativa que, além de descobrir jovens com talento e aptidão, é uma grande oportunidade para incentivá-los a se tornarem futuros profissionais da química”, conclui Lafaiete.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website