UFBA publica edital de remoção de servidores técnico-administrativos para novo campus de Camaçari

Download PDF
Campus terá o nome do baiano Carlos Marighella

Campus terá o nome do baiano Carlos Marighella

O edital de remoção de servidores técnico-administrativos para o novo campus da UFBA em Camaçari, que abrigará o Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação, estará com inscrições abertas de 15 a 26 de fevereiro. São nove vagas para assistente em administração, uma para técnico em contabilidade e uma para técnico em tecnologia da informação. Para nível superior, devem ser preenchidos os cargos de administrador, analista de sistema, arquivista, assistente social, bibliotecário, contador, engenheiro civil, nutricionista, pedagogo, todos com uma vaga cada. Os candidatos devem ser lotados na UFBA.

A constituição do corpo docente também está em andamento, segundo a diretora pró-tempore do campus, professora Valterlinda Queiroz. Os professores da UFBA interessados em atuar na nova unidade de ensino podem entrar em contato com a diretoria para solicitar remoção, de acordo com o perfil das disciplinas que serão ofertadas, disse a diretora. Fazem parte desse público-alvo docentes da Escola Politécnica e do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC). Ela explica que profissionais de outras universidades também poderão ser incorporados por redistribuição. “Buscaremos o aproveitamento de concursos já existentes na universidade para convocar candidatos aprovados”, afirmou. No momento, cinco professores estão com os processos em tramitação, contou a diretora.

A criação do no novo campus de Camaçari, que terá o nome do baiano Carlos Marighella, foi aprovada por aclamação pelo Conselho Universitário da UFBA (Consuni). Político, poeta e um dos principais nomes da resistência contra a ditadura militar no Brasil, Marighella foi também estudante do curso de Engenharia Civil, na Escola Politécnica.

Espaço para instalação do futuro restaurante universitário

Espaço para instalação do futuro restaurante universitário

Inicialmente o campus funcionará no prédio da Cidade do Saber. O espaço definitivo, que passará por uma série de reformas, está localizado nas antigas instalações do Centro de Pesquisa de Desenvolvimento do Estado da Bahia (Ceped), cedidas à universidade pelo governo do Estado para abrigar a unidade de ensino, incluindo um terreno contíguo com 40 hectares de área verde.

O projeto arquitetônico do campus Carlos Marighella foi elaborado pela Superintendência de Meio Ambiente e Infraestrutura da UFBA (SUMAI). O projeto prevê infraestrutura com auditório, biblioteca, restaurante universitário, laboratórios, um edifício para as salas de aula e novas instalações para o funcionamento de colegiados, departamentos, grupos de pesquisas e sala de professores, bem como as demais atividades administrativas e deve ser concluído em um prazo de dois anos.

Pátio interno do pavilhão de aulas

Pátio interno do pavilhão de aulas

O projeto político-pedagógico seguirá o modelo de formação por ciclos já adotado pela UFBA para os bacharelados interdisciplinares. No ciclo inicial, os estudantes terão a possibilidade de cursar o Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação, obtendo a titulação em um período estimado de três anos. Em seguida, poderão optar por continuar a sua formação com um segundo ciclo, na área da Engenharia, em Cursos de Progressão Linear previstos para serem abertos no campus.

“A expectativa é grande. Camaçari é um município que tem a capacidade de absorver os alunos egressos do novo campus. A formação de profissionais (nessa área específica) vai contribuir também com o município, que é sede do Pólo Petroquímico e apresenta essa demanda”, ressalta a diretora pró-tempore, Valterlinda Queiroz.

Parcerias entre a universidade e empresas fomentarão o desenvolvimento de pesquisas

Parcerias entre a universidade e empresas fomentarão o desenvolvimento de pesquisas

A abertura do BI, com a oferta inicial prevista de 100 vagas, faz parte do projeto de implantação do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação, que intensificará a formação de pessoal qualificado na região e contribuirá, de uma forma geral, para o desenvolvimento do Estado da Bahia. O BI em Ciência e Tecnologia será ofertado no turno matutino, na modalidade presencial, com carga horária total de 2.410 horas e duração mínima de seis semestres.

O BI “Deve ampliar também o conhecimento e desenvolvimento na área das Engenharias, com uma forte aderência ao arranjo produtivo local para alavancar a competitividade do parque industrial e superando as assimetrias e desigualdades socioeconômicas regionais, particularmente na cidade de Camaçari e na região Metropolitana de Salvador (RMS) e seu entorno”, destaca o projeto.

Maior polo industrial do Estado, Camaçari abriga um complexo petroquímico, indústrias automobilísticas e outras. A sua proximidade com o campus facilitará parcerias entre a universidade e as empresas, fomentando o desenvolvimento de pesquisas. Além do bacharelado e das engenharias, ICTI deverá propor a criação de cursos de pós-graduação strictu sensu em colaboração com o setor industrial.

O projeto do campus inclui novas instalações administrativas para o funcionamento de colegiados e departamentos.

O projeto do campus inclui novas instalações administrativas para o funcionamento de colegiados e departamentos.

O acesso dos estudantes egressos do BI aos cursos do segundo ciclo, formação em Engenharia, se dará via seleção interna, de acordo com os critérios estabelecidos pela UFBA (clique aqui para detalhes). Serão admitidos primeiramente os egressos do BI-CTI UFBA Campus Carlos Marighella; em segunda instância egressos de Bacharelados Interdisciplinares em Ciência e Tecnologia do Campus da UFBA em Salvador e por fim egressos de BI em Ciência e Tecnologia de outras Instituições de Ensino Superior. Futuramente, serão anunciadas as áreas específicas dos cursos de Engenharia que funcionarão em Camaçari.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website