Fórum Social Mundial da Saúde e Seguridade Social acontece em Salvador

Download PDF

Fórum da SaúdeAntecedendo ao Fórum Social Mundial, será realizado na UFBA, campus do Canela, entre os dias 10 e 12 de março de 2018, o VII Fórum Social Mundial da Saúde e Seguridade Social. A expectativa é que se reúnam mais de 500 profissionais, gestores, ativistas, líderes sociais e políticos que atuam nos diferentes campos da Seguridade Social, envolvendo proteção do trabalho e emprego, pensões e aposentadorias, assistência social e saúde. “O Fórum pretende conectar e fortalecer lutas pela seguridade social baseada nos direitos humanos e sociais, a partir de uma troca de conhecimentos e de ações articuladas”, explica Armando De Negri Filho, coordenador do Comitê Executivo do Fórum. Segundo o professor, o evento “também reafirma a necessidade da construção de estratégias de expansão para um sistema de proteções sociais universais, integrais e igualitárias.

O VII Fórum Social Mundial da Saúde e Seguridade Social está sendo organizado por diversas entidades. A UFBA está representada pelo Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da Bahia, pelo Instituto de Saúde Coletiva (ISC) e pela Escola de Enfermagem, Escola de Nutrição. O acúmulo dos debates realizados será levado para o Fórum Social Mundial nos espaços de convergência, particularmente no eixo de justiça social. “A realização deste Fórum aqui na UFBA mostra a importância e a competência da instituição, com sua vitalidade histórica e científica na produção de conhecimento e formação de profissionais. Estes eventos são importantes para que a universidade se mantenha em diálogo com a sociedade e com o mundo, debatendo soluções para problemas que são globais”, afirmou a professora Isabela Cardoso, diretora do Instituto de Saúde Coletiva.

O evento terá painéis e conferências centrais pela manhã e tarde, em três blocos de discussões, além de atividades paralelas autogestionadas. Cada dia de debate do Fórum será centrado em um eixo específico. No dia 10, sábado, será discutido o Direito ao Desenvolvimento, entendido numa perspectiva multidimensional, conciliando justiça econômica com justiça social e ambiental, vislumbrando sociedades mais igualitárias e baseadas nos direitos humanos e sociais. No domingo, o tema é a Seguridade Social Ampliada, na perspectiva de construção de um sistema de proteções sociais que impliquem em um sistema de redistribuição da riqueza, mediante justiça tributária e serviços públicos universais, centrados na redução e eliminação das desigualdades.Na segunda-feira, dia 12, o eixo se concentra nas Estratégias de Mobilização Social e Educação Política, para materializar o debate anteriormente realizado, construindo uma nova correlação de forças na sociedade civil, tendo em vista uma maior participação na democracia direta e alternativas no âmbito da democracia representativa.

Fórum da Saúde 2Um dos resultados esperados é a convocação de uma I Conferência Nacional de Seguridade Social, “uma necessidade urgente frente ao desmonte da Seguridade Social Brasileira”, segundo afirma De Negri. “Tentaremos unificar os processos de defesa do patrimônio da seguridade social como conquista da sociedade e convergir as lutas pela ampliação e aperfeiçoamento dos processos e instituições que ainda estão fragmentadas pelos limites liberais do sistema e pelas agressões da hegemonia neoliberal”, complementa o professor.

Além de ampla mobilização nacional, o Fórum pretende reunir participantes de diferentes partes do mundo, em especial da América Latina, onde há articulações e intercâmbios já em desenvolvimento. Há a intenção de se construir a I Conferência Sul Americana para o Desenvolvimento de Sistemas Universais de Seguridade Social, com o objetivo de colocar em diálogo representantes de governos e movimentos sociais em torno dos desafios e dilemas que implicam a conquista e transição ao universalismo integral e igualitário. “Estamos enfrentando os dilemas de afirmação da universalidade das proteções sociais tanto no âmbito dos governos conservadores como em alguns ditos progressistas”, explica De Negri.

A participação é livre, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do site www.fsms.org.br, ou do formulário – https://goo.gl/forms/36e21QuOIaXbzaaD3.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website