Trabalho e reforma trabalhista estão em importantes debates do Fórum

Download PDF
Call-Center-padrao

Call center padrão, na lógica mais perversa do trabalho contemporâneo

O trabalho em suas variadas relações atuais será debatido em cinco mesas do Fórum Social Mundial programadas pela UFBA. Uma delas, “Trabalho Digno: respostas à Reforma Trabalhista, Controle Social e Direitos Humanos”, coordenada pela professora Graça Druck, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH), acontecerá na quinta-feira, 15, às 14h, no salão nobre da reitoria.

“Temos um grupo de pesquisa chamado ‘Trabalho, precarização e resistência’ e a ideia da mesa surgiu justamente de nossos debates. Queríamos juntar pessoas com visões diferentes para discutir sobre o tema da reforma trabalhista”, diz Graça Druck.

Entre os participantes do debate está o juiz do trabalho Guilherme Guimarães Feliciano, presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). “Ele trará a visão dos juristas sobre os aspectos inconstitucionais da reforma e vai apresentar e discutir quais são os resultados que já se apresentam com a reforma em curso”.

Outros especialistas na mesa são Ana Georgina da Silva Dias, supervisora regional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), e Angela Borges, presidente da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET), que vai apresentar estudos acadêmicos sobre a reforma trabalhista e seus principais resultados acadêmicos. Também se inclui entre os debatedores o editor do Le Monde Diplomatique Brasil, Silvio Caccia Bava.

912qGr6n9LL._SL1500_

Chaplin, fim dos anos 1930, velhos “Tempos modernos”

“Nós queríamos dar voz também aos representantes da imprensa alternativa e como eles estão trabalhando o tema”, explica Graça Druck. “O grande intuito da mesa é discutir e mostrar o impacto da reforma sob a ótica de todas esses agentes sociais – mídia, pesquisadores, sindicatos, juristas e outros. Queremos discutir também quais são as formas de resistência que estão surgindo dentro de cada um desses segmentos”.

Uma segunda mesa dentro do eixo do trabalho vai acontecer na quarta, 14, às 14h, no auditório II da Escola de Enfermagem, com o tema “Impactos da reforma da previdência no serviço público e educação”. O coordenador do sindicato dos trabalhadores técnico-administrativos da UFBA (Assufba), Renato Jorge Pinto será mediador da mesa, que terá a participação de representantes nacionais e estaduais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e do sindicato dos trabalhadores técnico-administrativos de universidades públicas do Brasil (Fasufba).

Além dessas, outra mesa que também vai tratar do tema é “Relações de trabalho e acumulação do capital no Brasil” na sexta-feira, 16, às 14h, no auditório I da Escola de Enfermagem, no Canela, que vai contar com a participação da professora Graça Druck, Luiz Filgueiras, professor da Faculdade de Economia, Genaulo França Filho, professor da Escola de Administração e Gabriel Kraychete, professor na Universidade Católica de Salvador (Ucsal).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website