Assinatura de termo de cooperação marca implantação do Campus da UFBA em Camaçari

Download PDF
UFBa©alfredo_mascarenhas20180327-095A3656

Da esquerda para a direita, o vice-reitor da UFBA Paulo Miguez, ex-prefeito de Camaçari José Tude, reitor João Carlos Salles e o prefeito de Camaçari Elinaldo Araujo

A Universidade Federal da Bahia estará ativa em Camaçari ainda no primeiro semestre letivo de 2018. E um passo decisivo para sua presença definitiva no município foi dado nesta terça-feira, 27 de março, quando o reitor da UFBA, João Carlos Salles, e o prefeito Antônio Elinaldo da Silva, na presença do ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho, assinaram o termo de cooperação técnica e científica para a implantação do campus da UFBA em Camaçari.

O evento aconteceu no Teatro da Cidade do Saber, prédio onde vai funcionar inicialmente o curso de Bacharelado Interdisciplinar (BI) em Ciência, Tecnologia e Inovação, que este ano abrirá o total de 100 vagas. O evento contou com a presença de políticos, autoridades do judiciário, líderes religiosos e membros da comunidade local que comemoraram a chegada da universidade à Camaçari.

“A universidade é tão festejada porque é uma referência de qualidade, lugar de reflexão, liberdade, diálogo, divergências, de excelência e de conhecimentos que ainda serão produzidos. Uma instituição que a cada dia justifica o seu direito de existência, e que luta por um outro mundo possível, com menos desigualdades sociais. A universidade ultrapassa qualquer interesse menor e precisa resistir a qualquer intempérie”, disse João Calos Salles.

O reitor afirmou que a implantação do campus em Camaçari faz parte de um processo que vem sendo gestado há algum tempo e agradeceu ao ministro da Educação pela atenção especial com que tratou as demandas urgentes da universidade. Salles também ressaltou a cumplicidade com a prefeitura de Camaçari pela causa do ensino superior, “que é do interesse de todos e está acima de diferenças políticas ou partidárias”.

UFBa©alfredo_mascarenhas20180327-095A3812

O auditório da Cidade do Saber ficou lotado. O ministro da Educação, José Mendonça Bezerra Filho, esteve presente.

“A vinda da UFBA para Camaçari vai atrair uma série de outras faculdades e vamos transformar essa cidade em um polo universitário”, festejou o prefeito Elinaldo Silva, explicando que o primeiro curso da UFBA funcionará na Cidade do Saber por dois anos, até a implantação do campus definitivo no antigo Centro de Pesquisa de Desenvolvimento do Estado da Bahia (Ceped).

Através do termo de cooperação assinado, a prefeitura cede, temporariamente, os pavimentos 1 e 2 do edifício do Teatro da Cidade, no conjunto cultural e esportivo Cidade do Saber, para funcionamento provisório e inicial das atividades da UFBA, a partir de março de 2018, até sua transferência para as instalações do Ceped.

“A chegada da universidade é uma conquista que enche os olhos de qualquer município”, destacou o ministro da Educação Mendonça Filho, que agradeceu a parceria com o reitor e o prefeito de Camaçari para a concretização do projeto. Em um dia de atividades no Estado da Bahia, Mendonça Filho, que se prepara para deixar o ministério em 6 de abril para concorrer a cargo eletivo em seu estado natal, Pernambuco, cumpriu agenda também em Juazeiro e Alagoinhas.

Em um auditório lotado por mais de 600 pessoas, participaram da cerimônia os deputados federais Paulo Azzi e Antônio Imbassahy, o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Sílvio Pinheiro, o diretor de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior, Mauro Rabelo, o vice-prefeito da cidade, José Tude, o subsecretário de Cultura Luciel Neto, o prefeito de Feira de Santan, José Ronaldo de Carvalho, a diretora da Escola a Politécnica da UFBA Tatiana Dumêt, e a diretora pro-tempore do campus em Camaçari, Valterlinda Queiroz.

A UFBA vai abrir 100 vagas para o Bacharelado em Ciência, Tecnologia e Inovação em 2018 e nos dois anos seguintes. Posteriormente à instalação definitiva no campus, serão oferecidas 300 vagas no mesmo curso e, a partir de 2021, outras 300  vagas para os cursos de engenharia, que comporão o segundo ciclo do campus

Cidade do Saber

Cidade do Saber, sede provisória do campus da UFBA

De acordo com diretora pró-tempore do campus, Valterlinda Queiroz, as instalações da Cidade do Saber passarão por reformas nos próximos 30 dias para adequar as salas de aula e setores administrativos para o funcionamento do novo curso. O calendário acadêmico será definido em breve, com a previsão de início das aulas a partir do final de maio.

A abertura do BI faz parte do projeto de implantação do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação, que intensificará a formação de pessoal qualificado na região e contribuirá de uma forma geral para o desenvolvimento do estado da Bahia. O espaço definitivo para o campus, que também passará por uma série de reformas, está localizado nas antigas instalações do Centro de Pesquisa de Desenvolvimento do Estado da Bahia (Ceped), cedidas à universidade pelo governo do Estado para abrigar a unidade de ensino, incluindo um terreno contíguo com 40 hectares de área verde.

A Superintendência de Meio Ambiente e Infraestrutura da UFBA (Sumai) é responsável pelo projeto arquitetônico do campus, que prevê infraestrutura com auditório, biblioteca, restaurante universitário, laboratórios, um edifício para as salas de aula e novas instalações para o funcionamento de colegiados, departamentos, grupos de pesquisas e sala de professores, bem como as demais atividades administrativas, e deve ser concluído em um prazo de dois anos.

01

Futura sede do Campus Carlos Marighella

O projeto político-pedagógico seguirá o modelo de formação por ciclos já adotado pela UFBA para os bacharelados interdisciplinares. No ciclo inicial, os estudantes terão a possibilidade de cursar o Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação, obtendo a titulação em um período estimado de três anos. Em seguida, poderão optar por continuar a sua formação com um segundo ciclo, na área da Engenharia, em Cursos de Progressão Linear previstos para serem abertos no campus.

“A expectativa é grande. Camaçari é um município que tem a capacidade de absorver os alunos egressos do novo campus. A formação de profissionais (nessa área específica) vai contribuir também com o município, que é sede do Pólo Petroquímico e apresenta essa demanda”, ressalta Valterlinda Queiroz.

O BI “deve ampliar também o conhecimento e o desenvolvimento na área das engenharias, com uma forte aderência ao arranjo produtivo local para alavancar a competitividade do parque industrial e superando as assimetrias e desigualdades socioeconômicas regionais, particularmente na cidade de Camaçari e na região Metropolitana de Salvador (RMS) e seu entorno”, destaca o projeto. O curso será ofertado no turno matutino, na modalidade presencial, com carga horária total de 2.410 horas e duração mínima de seis semestres.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website