UFBA sedia dois eventos da mais importante conferência mundial da matemática

Download PDF

Dois importantes eventos internacionais da matemática terão a UFBA como sede nos meses de julho e agosto. Trata-se das conferências internacionais sobre Grupos de tranças, espaços de configuração e teoria de homotopia, entre 23 e 27 de julho, e sobre Sistemas dinâmicos e tópicos relacionados, de 13 a 17 de agosto, que acontecerão no Instituto de Matemática e Estatística.

As duas reuniões de especialistas nesses temas integram os cerca de 45 chamados “eventos satélite” do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM), realizado a cada quatro anos, que neste ano acontece no Brasil, entre 1 e 9 de agosto, no Rio de Janeiro. Os eventos satélite acontecem no país do evento (e às vezes em países vizinhos, como a Argentina e o Uruguai, na edição deste ano), e são importantes porque, ao reunir os principais especialistas de cada uma das subáreas da matemática, promovem os grandes encontros e os debates mais aprofundados que garantem a vitalidade científica do principal congresso mundial da área.

light_spark_color_motion_long_exposure-608456.jpg!d

Explosões solares são um exemplo de fenômenos que a teoria de grupos de tranças pode ajudar a explicar

Os grupos de tranças mobilizam um universo de problemas em torno das infinitas possibilidades de combinação de linhas que partem de um ponto a outro, num espaço e tempo determinados, respeitando determinadas regrinhas técnicas – como, por exemplo, não se cruzarem e não retrocederem. A analogia mais simples é a trança de cabelo, mas as equações encontradas podem servir para orientar a programação de robôs ou entender o comportamento de partículas em explosões solares, entre outros exemplos.

Os sistemas dinâmicos compreendem uma área multidisciplinar da matemática, que surge da tentativa de entender a dinâmica dos fenômenos físicos. A área teve origem em problemas da física, da mecânica celeste e da biologia principalmente, e hoje tem temas de estudo próprios e constitui uma área muito abrangente. Tornou-se conhecida pelo grande público através da “teoria do caos”: em 1972, o matemático Edward Lorenz escreveu um artigo intitulado “Poderia um bater de asas de uma borboleta no Brasil, causar um tornado no Texas?”, em que salientava que pequenas mudanças nas condições iniciais de um sistema dinâmico podem levar a mudanças drásticas nos resultados a médio e longo prazo.

trança

Cabelos trançados também ilustram problemas matemáticos do âmbito da teoria de grupos de tranças

Coordenador do encontro sobre grupos de tranças, o professor do Instituto de Matemática da UFBA Oscar Ocampo enfatiza a importância da realização desses eventos na UFBA, uma vez que, dos cerca de 45 eventos satélite, apenas três acontecerão no Nordeste – além dos dois na Bahia, o terceiro acontece na Universidade Federal do Ceará. “A UFBA e Salvador têm totais condições de sediar eventos desse porte, e isso tem que acontecer cada vez mais, porque dá visibilidade internacional à Universidade”, diz Ocampo, colombiano radicado na Bahia e professor da UFBA há quatro anos.

A ideia de trazer o evento satélite de sua área para a UFBA surgiu justamente há quatro anos, quando Ocampo, recém contratado para ser o primeiro professor de topologia algébrica (uma subárea dos grupos de tranças) do instituto, percebeu, ao participar da última edição do ICM, na Coréia do Sul, que uma candidatura baiana não seria impossível. Ao longo de 2015, ele conseguiu aglutinar alguns dos principais pesquisadores da área no Brasil e no mundo em torno da ideia, e conseguiu o aval da organização do evento mundial ainda em 2016.

Resultado do trabalho capitaneado por Ocampo é a presença já confirmada de 45 pesquisadores estrangeiros – 17 dos quais são grandes nomes da área, que vêm ao evento a convite – e 20 nacionais, além de estudantes de graduação e pós-graduação. A realização do evento já conta com apoio da Capes, do INCTMat e da própria UFBA.

750px-Lorenz_attractor_yb.svg

Atrator de Lorenz é um exemplo de sistema dinâmico

O professor Paulo Varandas, também do Instituto de Matemática, coordena o evento sobre sistemas dinâmicos, uma das áreas da matemática com maior expressão no Brasil, em que a UFBA é particularmente forte, contando com mais de 30 pessoas, entre pesquisadores, professores visitantes, alunos de pós-doutorado e alunos de doutorado. O evento já conta com mais de 150 inscritos, entre os quais cerca de 40 pesquisadores estrangeiros.

Já estão confirmadas presenças importantes, como, por exemplo, a do matemático carioca Artur Ávila, vencedor da Medalha Fields em 2014, considerada uma espécie de “Nobel” da matemática; e a de Jacob Palis, pesquisador do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), um dos responsáveis pela promoção do desenvolvimento da matemática em todo o Brasil. O evento será em homenagem a Welington de Melo, outro pesquisador de destaque do Impa, que faleceu no ano passado.

Tudo isso dito, explicar com mais detalhes o que está em jogo em cada uma das áreas da matemática é tarefa complicada, mesmo para matemáticos – eles mesmos costumam reconhecer que é quase impossível a um matemático entender as minúcias do trabalho de um colega de outra área. “Fazemos um trabalho importante para a sociedade, mas nossa comunicação com a sociedade, geralmente, não é boa”, reconhece o professor Ocampo. Matemáticos, segundo ele, são, de maneira geral, “bons solucionadores de problemas”, cujas descobertas, embora possam vir a ter alguma aplicabilidade prática, não têm esse compromisso e, em geral, são de ordem abstrata mesmo – embora, conforme observa o professor Ocampo, os matemáticos estejam sendo cada vez mais contratados por grandes corporações, para ajudar na solução de problemas da indústria ou do comércio.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*
Website