Facom lança especial multimídia que relembra personagens e fatos marcantes de sua história

Download PDF

smartmockups_kvcogtvr

Com mais de 30 anos de existência – precisamente 34 – e uma longa e consolidada história na área da comunicação e da cultura no país, a Faculdade de Comunicação da UFBA possui, agora, um espaço reservado a relembrar toda a sua trajetória. Lançado na terça-feira, 09 de novembro, o especial multimídia Memórias da Facom traz uma web-reportagem com elementos multimidiáticos que destacam os personagens e episódios que marcaram a história da unidade universitária até os dias atuais. O projeto já tem o primeiro capítulo disponível e será atualizado periodicamente, contemplando as diferentes fases da faculdade.

Desenvolvido durante o período de atividades remotas na Universidade, o especial é resultado de um trabalho feito desde o início de 2021, que envolveu a direção da unidade — idealizadora do projeto — e o empenho de servidores técnicos-administrativos, responsáveis pela execução, da pesquisa à edição final. Entre os destaques estão um mapa interativo, que revela todos os lugares por onde os cursos de Comunicação na UFBA passaram, bem como entrevistas em vídeo, com a participação de professores(as), alunos(as) e servidores(as) que estiveram presentes nos momentos decisivos para a unidade, a exemplo da criação do pioneiro curso de jornalismo na Bahia.

Captura de tela 2021-11-11 075836

Atual diretora da Facom, onde se formou, a professora Suzana Barbosa explica por que desenvolver um projeto como o Memórias da Facom: “O projeto possui um valor simbólico altíssimo. Mostra que muita gente trabalhou, e trabalhou forte, na construção dessa história, como a participação dos estudantes, que sempre foi importantíssima”, afirma a diretora. Suzana lembrou também do papel do jornalismo como lugar de memória: “É Sempre bom nos lembrarmos qual é a história que nos constitui. Os nossos ancestrais, familiares que vieram antes de nós que também nos formaram. Da mesma maneira, é pensar na história das instituições que compõem a  Universidade Federal da Bahia, como é o caso da Facom”, completa.

Indiretamente, o especial multimídia conta também a história de outras graduações da Universidade. Exemplo disso é a descrição do período em que o curso de jornalismo esteve abrigado juntamente com o de biblioteconomia em uma única escola. A passagem pela histórica Faculdade de Filosofia (atual Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas), primeira casa de muitas das graduações da UFBA, pode ser entendida já no primeiro capítulo.

Embora lançado em 2021, por meio do projeto, o levantamento da memória da Faculdade vem sendo feito desde 2017. “Já naquele momento (2017), começamos a fazer uma investigação sobre a história da instituição. Também tivemos a ideia de levantar fatos importantes, personagens importantes da Facom, da própria história de constituição da unidade acadêmica da faculdade de comunicação, por meio de painéis fotográficos que foram colocados na sala de direção. Então esse resgate começou exatamente ali, entre 2017 e 2018”, explica Suzana Barbosa.

O lançamento do portal acontece no mês em que a instituição completa 34 anos de fundada (embora, conforme explica a web reportagem, já possua mais de 70 anos de história) e também em um momento de encerramento e início de novos ciclos. “Estou finalizando uma gestão à frente da faculdade, gestão essa de dois mandatos, quase uma década. Eu acho importante esse resgate, e eu tenho um zelo especial pela história”, afirma a diretora.

Fatos e personagens

O especial traz como homenageado Germano Tabacoff, reitor da UFBA no período de 1984 a 1988 e figura emblemática para a história da Facom, cuja fundação ocorreu durante seu mandato. O ex-reitor reconhecia a necessidade de criação da Facom e buscou, por meio de recursos e diálogos, caminhos para que isso acontecesse. São também lembradas personalidades como o jornalista e político baiano Clemente Mariani Bittencourt, a frente da criação do primeiro curso de jornalismo na Bahia, na década de 1950; e o jornalista Florisvaldo Mattos, docente que fez parte da equipe fundadora da graduação.

Além de conferir os personagens marcantes, um dos motivos para conhecer o especial é entender o momento que levou à criação da primeira graduação em jornalismo na Bahia  — motivada em grande parte pelo contexto próspero na economia local nos anos 1950 — e o que isso significou para o jornalismo baiano. Curiosidades, como as aulas abertas em tom de manifestação, em plena rua Dr. Augusto Viana, na década de 1970, são outros detalhes que valem a leitura. “Todos os personagens que fizeram parte da faculdade nesses 34 anos foram importantíssimos, mas também foram muitíssimo importantes aqueles que antecederam, que trabalharam para que se chegasse à constituição de uma faculdade”, reconhece Suzana Barbosa.

*Colaborou Sofia Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website