Cerimônia marca doação de terrenos para campus definitivo da UFBA em Camaçari

Download PDF
documento-camacari

Prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo, entrega documento de doação de terrenos ao reitor João Carlos Salles (Foto: Divulgação)

A cerimônia de assinatura da Lei Nº 1709/2022, que faz a doação de dois terrenos à UFBA, foi realizada no auditório da Secretaria de Governo, nesta terça-feira, 11 de janeiro. Os terrenos somam mais de 147 mil metros quadrados e irão sediar, em caráter definitivo, o campus universitário da UFBA em Camaçari.

Os dois terrenos correspondem a uma área de 84.840,40 m² e outra de 62.370,66 m² e estão localizados no Loteamento Parque Nascente do Rio Capivara. Ambas as áreas irão abrigar o Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTI), embrião do campus de Camaçari, que iniciou suas atividades em setembro de 2018. Atualmente, o Instituto tem sede temporária nas dependências do complexo da Cidade do Saber, espaço cedido pela Prefeitura de Camaçari, onde ocupa dois andares para o desenvolvimento das atividades.

A cerimônia teve a participação do reitor João Carlos Salles; do pró-reitor de ensino e graduação, Penildon Silva; da diretora do Instituto, Maiana Matos; do prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo; do vice-prefeito, José Tude; do deputado federal Paulo Azi; da secretário de educação, Neurilene Martins, e do vice-presidente da Câmara de Vereadores, Dilson Magalhães Jr.

Após a assinatura da lei, o prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo, fez a entrega do documento ao reitor da UFBA, João Carlos Salles, que destacou a importância da implantação do campus na cidade. “Nós temos aqui o orgulho de sermos essa célula inicial de um projeto de Universidade, que é o lugar especial de produção de conhecimento, de formação de pessoas e formação de cidadania”.

O reitor também enfatizou o papel da educação na construção de uma sociedade mais justa. “Nós temos orgulho de ser local de ensino, de apoio, de resistência nos momentos de obscuridade, porque isso que é a educação. Esse é o primeiro passo. Não será um caminho rápido, é um projeto a longo prazo, que será recompensador”, disse.

O prefeito Elinaldo Araújo afirmou que, após a apresentação do projeto pela UFBA, a gestão municipal buscará ampliar sua contribuição, oferecendo apoio no direcionamento de recursos para a instituição na construção do novo campus.

Para a diretora Maiana Matos, o ICTI possibilita “um maior acesso a educação superior gratuita e de qualidade numa instituição comprometida com o ensino, a extensão, a pesquisa”. Em sua visão, a consolidação da sede definitiva do Instituto “representa desenvolvimento para o município, pois auxilia na redução da desigualdade. Além de fortalecer o movimento de expansão e interiorização da universidade”.

Projeto político-pedagógico do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação

O projeto político-pedagógico do Instituto segue o modelo de formação por ciclos já adotado pela UFBA para os bacharelados interdisciplinares (BI). No ciclo inicial, os estudantes cursam o Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação, com ciclo de 3 anos (6 semestres). São 100 vagas anuais, preenchidas por meio do Sistema de Seleção Unificado (Sisu).

Ainda neste ano, espera-se oferecer duas áreas de concentração no Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação: Ciências de Dados e Estudos da Engenharia. A partir de 2023, há a previsão de oferta dos cursos de Progressão Linear da área da Engenharia, que irão compor o segundo ciclo do Instituto. Entre eles, a criação dos cursos de engenharia de produção, engenharia elétrica e engenharia mecânica. Já se encontra em fase final de conclusão o projeto pedagógico do curso de engenharia de produção, com oferta de 40 vagas, que está sendo elaborado por docentes e a pedagoga do ICTI com apoio de docentes da Escola Politécnica e do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC), além de suporte do Núcleo de Currículos da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Prograd).